Infestação de carrapatos: como tratar o animal e o ambiente?

Infestação de carrapatos: como tratar o animal e o ambiente?

Infestação de carrapatos: como tratar o animal e o ambiente?

Um das situações mais graves que os cachorros podem lidar é com uma infestação de carrapatos. Se somente um deles for infectado e se fixar no seu animal, já é o bastante para fazer com que o seu animal de estimação fique adoentado.

No entanto, é bom destacar que há maneiras de impedir que os cachorros sofram esse problema de saúde. Desta maneira, confira a seguir algumas dicas para evitar que o seu pet passe por uma situação tão desagradável.

Como evitar uma infestação de carrapatos?

infestacao-de-carrapatos-blog-focinho-e-cia

infestacao-de-carrapatos-blog-focinho-e-cia

1 – O que são os carrapatos?

Basicamente, o carrapato se trata de um parasita que se alimenta do sangue dos animais. Ele pode ser achado nas peles de cachorros, vacas, cavalos e outros bichos. Gatos também podem ter problemas de infestação com carrapatos; apesar de não se tratar de algo normal, já que os felinos acumulam mais problemas com relação as pulgas.

2 – Em que época do ano, os carrapatos aparecem com mais freqüência?

O carrapato gosta muito de calor e no Brasil, pode aparecer ao longo de todo o ano, o país sempre conta com temperaturas elevadas. Durante o verão, o cuidado deve ser ainda maior. O ciclo do carrapato tem até 21 dias e nesse período. Ele pode subir até três vezes no seu animal de estimação, se alimentando e voltando a cair. Desta maneira, pode ser achado no chão também.

Lembrando que os carrapatos são extremamente férteis e produzem em seu ciclo milhares de descendentes. O que torna ainda mais difícil o tratamento. Por isso, é fundamental que o tratamento do animal seja conjugado com o tratamento ambiental.

3 – O que fazer para impedir que seu cachorro sofra com os carrapatos?

Existem produtos que podem ser utilizados, como, por exemplo: as pipetas, que são usadas na parte de trás do pescoço do cão; coleiras que contam com substâncias que podem prevenir ou tratar os carrapatos; e os comprimidos, disponíveis em mercado brasileiro desde 2015. São as opções mais usuais encontradas no mercado. Muitas pessoas ainda utilizam produtos carrapaticidas da pecuária em pequenos animais. Esse tipo de prática não é recomendado devido ao altíssimo risco de intoxicação pelo veneno.

4 – Há alguma opção mais vantajosa que a outra?

Isso pode variar muito dependendo o quanto você pode desembolsar para lidar com esse problema, já que existem alguns produtos para carrapatos extremamente caros. O talco, por exemplo, conta com um preço muito mais em conta, no entanto, não possui tanta absorção e precisa ser utilizado todos os dias. Além disso, o talco não oferece proteção para o local onde fica o animal e alguns cachorros ainda podem apresentar alergia desse produto.

Os sprays são mais caros, no entanto, a sua utilização é mensal. Já as calorias podem provocar intoxicação se ocorrer contato com crianças, que podem levar as mãos à boca. Só que se o dono tiver preferência por esse produto, a utilização deve ser continua.

5 – Em que época é preciso dar comprimidos para evitar os carrapatos?

Não existe um período adequado, o ideal é sempre prevenir a infestação por carrapatos. Carrapatos, além de ectoparasitas sugadores de sangue, transmitem doenças graves aos animais e causa grande irritação na pele. Portanto, o melhor caminho é um programa preventivo periódico.

6 – Quais cuidados é preciso ter com o animal de estimação dentro e fora de casa?

Infestação de carrapatos

Infestação de carrapatos

O melhor caminho é a prevenção, não é legal privar seu amiguinho de se sociabilizar com outros animais nem excluí-lo de passeios em pracinhas e locais apropriados. Dentro de casa, é fundamental manter uma boa higiene e periodicamente realizar uma dedetização para que o controle de ectoparasitas seja integrado e satisfatório.

Se está a fim de saber mais algumas informações para garantir o bem estar de seu animal de estimação, leia também o artigo Como proporcionar uma vida saudável para o seu cachorro”.

Compartilhe este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *