Saiba tudo sobre vacinação em gatos

Saiba tudo sobre vacinação em gatos

Saiba tudo sobre vacinação em gatos

A vacinação em gatos é super importante para a saúde do seu animal. Confira as doenças que ele está propenso e as vacinas que ele deve tomar para evitá-las.

Vacinação em gatos

Vacinação em gatos

Quem não gosta de animais de estimação, especialmente gatinhos? Eles são carinhosos e uma alegria para a casa e para a vida. Mas, assim que você adotar ou ganhar um gato, precisa levá-lo ao veterinário para uma avaliação geral e avaliar as vacinas que o seu animal precisa.

Todo animal precisa estar com as vacinas em dia para ter qualidade de vida e não adoecer. Caso ele ainda não esteja vacinado, evite contato com outros animais.

Se não tiver como, tome cuidado para que ele fique apenas ao redor de animais já vacinados, até mesmo no veterinário quando levá-lo para procedimentos, para evitar que ele pegue doenças.

Existem uma série de vacinas diferentes para gatos para evitar vários tipos de doenças, que, em sua maioria, são bem sérias.

Quais as doenças mais comuns em gatos?

Confira, primeiramente, os diferentes tipos de doenças a que seu gato está propenso:

  • Panleucopenia: é uma doença viral, parecida com parvovirose canina.
  • Rinotraqueite: é uma doença viral que se manifesta através de espirros, conjuntivite, dificuldade respiratória, catarro, febre, prostatação, inapetência e pode ser um início de pneumonia.
  • Calicevirose: uma doença viral, também conhecida como gripe dos felinos, possui quadro semelhante a rinotraqueite.
  • Raiva: é uma doença infecto contagiosa aguda e pode ser fatal. Suas características são a apresentação de sinais nervosos e semiparalisia / paralisia. A necessidade de encubação pode aparecer entre 10 a 90 dias.
  • Leucemia Felina: doença viral transmitida através do contato com um gato infectado ou congenitamente. O s sinais clínicos da doença são anemia, letargia, dispnéia, disfagia,caquexia, enterites e a síndrome da mal absorção, uremia, icterícia e geralmente culmina no óbito do animal. O diagnóstico é feito por exames sorológicos. O tratamento é complexo e geralmente sem perspectiva de cura. Conhecida pela siglas FIV ou FELV, também são chamadas de Aids Felina.
  • Clamidiose: é uma doença semelhante a leucemia, porém, menos grave. Ela causa problemas gastrointestinais, abortos e pneumonias.

Existem uma série de doenças em diversos graus de seriedade e letalidade. Doenças podem ir de meras gripes, que levam dor ao seu bichinho, até cânceres letais. Para evitar qualquer tipo de transtorno ao animal, é melhor evitar problemas através da vacinação do felino.

A partir de qual idade posso vaciná-lo?

É válido destacar que a saúde do animal está relacionada a amamentação. Se o gato for desmamado com menos de 30 dias de vida, ele deixa de receber de forma efetiva a proteção passada pela mãe através do leite, ficando sem “imunidade”.

As vacinações devem ser iniciadas aos 45 dias de vida, deixando-o mais saudável para começar uma nova vida ao lado dos novos donos. O protocolo de vacinação depende do médico veterinário, ele pode mudar algumas coisas no protocolo de acordo o animal e ambiente em que ele viverá.

A primeira vacina é a polivalente, que sempre estão no protocolo de vacinação, elas recebem esse nome porque protegem os animais de múltiplas doenças. Assim, seguindo a ordem, as vacinas serão:

  • 8 semanas: vacina múltipla quádrupla (rinotraqueite, calicivirose, clamidiose e panleucopenia).
  • 12 semanas: vacina tríplice ou quádrupla.
  • 4 meses ( 16 semanas): quádrupla + antirrábica.
  • Anualmente: antirrábica e reforço da múltipla.

A importância dos  procedimentos de vacinação para gatos

Esses procedimentos são obrigatórios para se ter um gato, pois ele também precisa ter uma vida saudável e ser cuidado. Além disso, não é obrigação, mas aconselhamos que você castre o seu bichinho de estimação, ela impede que o animal entre no cio e fuja de casa para poder cruzar, e assim, ter muitos filhotes.

Os gatos podem entrar no cio aos cinco meses. Então, na primeira consulta ao veterinário, já converse com o médico sobre a castração. Os machos, depois de serem castrados, perdem seu instinto de demarcação territorial e param de fazer xixi pela casa. Além disso, ficam desinteressados de sair para a rua.

Ter um gatinho não é difícil, ele precisa de cuidados, assim como todos nós precisamos. Basta ter carinho, amor e alimento para que ele se sinta em casa e retribua todos os esses sentimentos bons, não esquecendo é claro a vacinação do gato.

 

Compartilhe este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *